Alunos de Iguatu e região lotam ‘aulão’ de Redação para o Enem no feriado

Lincoln, Zé Roberto e Marcelo unificaram os cursos Oficina de Redação e Redigir – Foto - Fabiana Fotografia

Curtir o feriado viajando ou descansando nem passou pela cabeça daqueles que estão às vésperas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece nos dias 4 e 11 de novembro. Cerca de 180 alunos escolas de Iguatu e região se reuniram para o ‘Grande Encontro da Redação Enem 2018’ no auditório da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), ontem, sexta-feira, 2. A revisão ocorreu de maneira objetiva e marcada por descontração, tanto entre professores quanto alunos.

Realizado pelo segundo ano consecutivo pelos professores José Roberto Duarte, Lincon Araújo e Marcelo Félix, o formato foi planejado desde a primeira realização em 2017.

A união dos docentes partiu da somatória de dois cursos: Oficina de Redação e Redigir,fortalecido ainda pelo polo acadêmico em que a região vem transformando, o formato de curso já consolidado em regiões doCariri e capital do estado. “Iguatu já é um grande centro educacional, aqui podemos aglutinar alunos de município vizinhos como Acopiara, Quixelô, Icó, Jucás Cariús, Cedro e Várzea Alegre, que participaram desse momento. Ainda não tivemos o registro de um aluno com nota mil, na região, quem sabe não saia desse aulão”, disse Marcelo.

Rumo à nota 1.000

Cerca de 180 alunos trocaram seu feriado por um dia de aprendizagem – Foto Fabiana Fotografia

Por mais de quatro horas a interdisciplinaridade tão cobrada no exame acabou sendo o foco mais trabalhado, para correlacionar conteúdos das disciplinas na argumentação da Redação. “Trabalhamos as cinco competências necessárias no Enem para chegar à redação nota mil. Fazemos o detalhamento gramatical, desenvolvimento, análise críticas, aspectos de coesão e coerência e proposta de intervenção”, afirmou José Roberto Duarte.

A cada edição da prova, algumas mudanças são propostas no foco de torná-la ainda mais eficiente. “O Enem é a porta de entrada para inúmeras instituições de ensino superior e os alunos precisam estar cientes”, alertou Lincoln.

No ano passado, duas alterações significativas alteraram a dinâmica da aplicação da prova e a forma de avaliação da do texto. Antes, o exame acontecia em um final de semana só, sendo assim, dois dias consecutivos de prova. Agora, são dois domingos consecutivos, proporcionando aos candidatos uma semana de descanso. “Além disso, redações que possuíam qualquer ideia que fosse contra os Direitos Humanos eram passíveis de receber nota zero. Agora não é mais permitido zerar a produção. Isso não significa dizer que o aluno não será penalizado com a perda de pontos”, pontuou José Roberto.

A distribuição das provas não mudou: no primeiro domingo, dia 4, serão aplicadas as provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação, com 5h30 de duração; no segundo domingo, dia 11, serão aplicadas as provas de Matemática e Ciências da Natureza, com 5h de duração.

“Xô tensão”

O Grande Encontro é referência ao título do álbum do conjunto dos cantores Elba Ramalho, Alceu Valença, Geraldo Azevedo e Zé Ramalho. A comparação não ficou só no nome, e sim na canção que abriu o evento. Uma paródia do ‘Frevo Mulher’ deixou o ambiente mais leve e arrancou risadas dos postulantes a vagas dos bancos universitários, quando popular trecho da canção: “É quando o tempo sacode a cabeleira //A trança toda vermelha” foi trocado por “Não adianta pensar nessa canseira// E cair na bagaceira// Vai tudo valer a pena quando eu tirar um 1.000”.

Para os professores a ferramenta do humor pode superar o desafio do nervosismo a flor da pele de colocar no papel em branco os pensamentos de maneira a respeitar os aspectos gramaticais. “Isso aumenta a autoestima do aluno na hora de fazer o exame. Nessa perspectiva que os jovens estão na reta final de ano, com extensa carga horária de aulas, missão de passar num vestibular e ter uma boa nota no ENEM, trouxemos como princípios para o desenvolvimento desse trabalho a; motivação. A música é nossa traz de reflexão e calmaria”, pontuou Lincoln.

Aprofundamento

Os candidatos em reta final de preparação viram na aula uma oportunidade de ter uma ajuda a mais. “A nota do Enem pode impulsionar as demais pontuações das disciplinas. E me preparar da melhor maneira me trouxe até aqui onde nos aprofundamos em conhecimentos socioculturais e trabalhamos as linhas de raciocínio e construção de textos”, afirmou ÉvylaCamila Teixeira, 17, da cidade de Acopiara.

Embora seja impossível precisar a proposta, o trio indicou alguns assuntos para os estudantes ficarem de olho e deram dicas de como produzir uma boa redação, que representa 20% da nota final do candidato. Temáticas que envolvem a intolerância contra minorias e desafortunados que não se encaixam em modelos narcisistas são apontadas como fortes propostas a serem abordadas.

COMPARTILHAR