Ednaldo anuncia mudanças: “o secretário que quiser ficar tem que se adequar a essa realidade”

Em entrevista na Rádio MaisFM Educativa no programa Mais Notícias dessa terça-feira, 06, que alcançou grande audiência na cidade, o prefeito Ednaldo Lavor falou sobre os acordos feitos com o grupo representado pelo atual secretário de saúde Marcelo Sobreira e sobre as mudanças que devem acontecer na gestão.

Ednaldo também falou sobre os próximos passos da gestão nesse novo contexto.

A polêmica eclodiu com a aproximação da eleição da mesa diretora.
Segundo o prefeito, havia um acordo para o candidato do grupo de situação para essa segunda parte do mandato na casa legislativa.
Depois do período de Mário Rodrigues como presidente, seria a vez de Rubenildo Cadeira ser o candidato do grupo ligado a Ednaldo.
Ainda segundo o prefeito, com a aproximação da eleição Marcelo Sobreira não teria aprovado o nome de Rubenildo Cadeira. Diante da negativa de Marcelo ao nome de Rubenildo, Ednaldo optou pelo nome da vereadora Eliane Braz, primeira dama do município, que estava licenciada da câmara na secretaria de Assistência Social.

Enquanto isso, nos bastidores, o grupo de Marcelo Sobreira se articulou em torno da candidatura do vereador Marconi Filho para a presidência da casa.
Rubenildo Cadeira, líder do prefeito na câmara, alega que o grupo já possui o compromisso de 10 vereadores, o que garantiria com folga de um voto a vitória na eleição.

Ednaldo reafirmou ter mantido os acordos firmados com Marcelo, garantindo a eleição de Mário Rodrigues para o primeiro biênio da câmara, o apoio a Marcos Sobreira na eleição para deputado e o apoio a antigos aliados do grupo.
Ednaldo ainda destacou a estima que nutre por Marcos Sobreira, independente das divergências com Marcelo.
Na entrevista Ednaldo evitou partir para ataques diretos a Marcelo Sobreira, reconhecendo seus bons resultados enquanto secretário, mas também destacando a dificuldade de trato e as críticas e conflitos com servidores.
Para Ednaldo, a entrevista na qual Marcelo Sobreira teceu pesadas críticas a ele foi um momento infeliz e desnecessário.
“O que eu não posso permitir é que vai acontecendo uma coisa e você vai deixando.
Chega um determinado momento de um secretário chegar a uma emissora de rádio e impor ao prefeito o que vai fazer. Não podemos inverter os papéis”, afirmou Ednaldo.

Choque de gestão
Entre as medidas anunciadas, Ednaldo falou em um “choque de gestão”, com mudanças nos rumos da administração. Uma reunião com todo o secretariado deve acontecer dentro de alguns dias para alinhar os pontos do trabalho.
O município também deve ter uma reforma administrativa, com redução no número de secretarias e revisão de alguns contratos para reduzir os gastos com pessoal.
A estimativa é que o município reduza das atuais 14 para 10 secretarias. Também se fala em redução nos mais de 1.100 contratados para enxugar a folha.
“Secretário que quer mandar mais que o prefeito não pode permanecer na gestão.
Agora vai ser do meu jeito, da maneira que tem que ser.
Eu, Ednaldo, tenho mais dois anos como prefeito, quero o melhor pro meu povo, tenho muitos projetos bons, quero trabalhar para a população”, finalizou.

Prefeito desmente aproximação com o PSL de Bolsonaro
Perguntado sobre rumor de que estaria se aproximando do partido de Jair Bolsonaro Ednaldo reafirmou seu apoio ao ex presidente Lula. Ednaldo esclareceu que no primeiro turno liberou seus apoiadores e votou em Ciro Gomes por serem do mesmo partido, porém no segundo turno fez campanha para Fernando Haddad.
Ele atribuiu o rumor a tentativas de o atacar, pela aproximação do vereador Rubenildo Cadeira com o deputado estadual André Fernandes.

Comitiva do prefeito lotou a rádio
O prefeito Ednaldo Lavor chegou à MaisFM Educativa com grande comitiva, que rapidamente lotou os corredores da emissora. Para muitos apoiadores o momento se torna histórico por afirmar perante à sociedade a liderança de Ednaldo Lavor. Vereadores , suplentes e secretários ligados a Ednaldo formavam a comitiva.

COMPARTILHAR