Entre Olhares: Brasil das comemorações

Tenho a impressão de que o nosso país é um dos mais comemorativos do mundo! E este mês de outubro parece ser o recordista. Dia das crianças, de Nossa Senhora Conceição Aparecida, dos Professores, do Agrônomo, do Dublador, estamos em meio às comemorações da chegada da imagem de Nossa Senhora Sant’Ana em Iguatu, ufa! É para isso que temos, mantemos e pagamos com o nosso suor o Poder Legislativo mais caro do mundo, pois só assim, justificam a sua existência, o que produzem e para que servem de fato.

Não sei se chamo de hipocrisia ou de indiferença, pois como comemorar o dia da criança, quando temos no mundo mais de 152 milhões de crianças e adolescentes submetidos ao trabalho infantil? Desse total, quase três milhões são brasileiros. Como comemorar o dia do professor, sabendo que o piso salarial desta categoria é estabelecido em R$1.187,00, o que equivale a dizer que o professor recebe menos de 27 centavos de Real por mês para atender a 1 aluno? E o que dizer do projeto político de sucatear cada vez mais as nossas instituições educativas?

Povo educado é povo insurreto! Não há o que discutir. Justamente por esse motivo é que não se pode oferecer a este povo uma educação de qualidade, livre, libertadora, laica e cidadã. Para manter tudo como está é preciso que se tenha uma massa disforme, desunida, alienada, faminta, desnutrida e por demais obediente. Urge que a desinformação se estabeleça a fim de que a mentira seja oferecida e ingerida como a verdadeira verdade. Cada vez mais ficamos à mercê de um joguete de marionetes, para o deleite de uma elite dominante, burrocrática, gananciosa e insaciável.

Precisamos parar de viver num país em que tudo é uma exceção. Educação pública, gratuita, de qualidade e laica tem que ser a regra para todos os brasileiros. Não se constrói uma Nação próspera com cidadãos e cidadãs analfabetos ou semiletrados. A pesquisa, a ciência e a tecnologia devem andar de mãos juntas para o bem e o benefício de todos. É inadmissível a balela de que “é bonito uma família que cria seus filhos trabalhando”. Criança é para brincar e aprender. Seu lugar é numa casa onde haja sustentabilidade para que ela possa ser educada dentro do mais alto padrão.

Até quando vamos nos contentar com verborragias mentirosas e enganosas do tipo: “déficit da Previdência”; “falta dinheiro para bancar a Educação”; “não temos como manter o SUS”. O sindicato dos auditores da Receita Federal vivem denunciando que o Sistema Previdenciário do Brasil é superavitário. Agora mesmo foi denunciado que o ministro da saúde comprou remédios com sobre preço acima de 2 mil por cento! Sabemos que a corrupção custa ao nosso bolso algo aproximado a R$ 1 trilhão!!!

Não nos faltam recursos. Não nos falta dinheiro. Não nos falta projeto. Não nos falta inteligência. Não nos faltam alternativas apropriadas às nossas condições edáficas, climáticas, biológicas e culturais. Não nos falta ciência e tecnologias. Somos uma Nação onde a FÉ é inquebrantável. Somos um Povo em que a disposição para o trabalho não nos falta. Somos um aglomerado em que todos os dias apostamos sempre no melhor que está por vir. Herdamos da nossa miscigenação a felicidade, o gingado, a garra, a força, a vontade, o bem querer, o amor à Terra.

Intolerância, ódio, preconceito, discriminação, insegurança, apatia, baixa estima. São todos ingredientes implantados em nosso meio por aqueles que se aproveitam do caos e do desmantelo para se dar bem, enriquecer, explorar e expropriar tudo aquilo que pertence ao bem público, privatizar o Estado, acumular riqueza de forma ilícita, sonegar. Nossa Burguesia Fidalga é intolerante, intolerável, mesquinha, avarenta, insaciável, gananciosa.

Falta-nos sim atitude! Falta-nos sim governo! Falta-nos sim seriedade administrativa! Falta-nos sim disposição para mudar! Falta-nos sim coragem para romper com este ciclo vicioso, viciado e viciante! Falta-nos coragem para romper com a conivência! Falta-nos sim promover uma ruptura neste pacto de mediocridade em que batemos palma para um teatro de mambembe de quinta categoria, que ousam chamar de Democracia! Faltam-nos lideranças com credibilidade e fidedignidade para conduzir à tão sonhada e almejada mudança!!!!!!!

COMPARTILHAR