HIPERTENSÃO: Diagnósticos da doença o crescem 14,2% na última década

O número de pessoas que convivem com a hipertensão no Brasil cresceu 14,2% na última década. Os diagnósticos passaram de 22 para quase 26%, no ano passado. O aposentado Ermelindo Nascimento, por exemplo, é hipertenso. Ele descobriu a doença em um check-up, porque não sentia nenhum sintoma. Para ele, apesar de nunca ter abusado demais, a má alimentação e o consumo de bebida alcóolica podem ter contribuído para o atual quadro de saúde.

“A época toda eu trabalhei em cozinha. Então, tinha muita facilidade com frituras, alimentação rica em gordura e carboidratos. Acredito que isso pode ter influenciado”.

A hipertensão arterial compromete órgãos importantes, como os rins e o coração. A doença pode também provocar um derrame cerebral. Por este e outros motivos, o Ermelindo adotou cuidados importantes com a saúde. Além da aferição diária da pressão, ele tem se exercitado e preferido alimentos saudáveis.

“Eu faço exercício quase todos os dias. Eu faço caminhada e às vezes faço exercício nos aparelhos do governo, na rua. E aqui em casa é só eu e minha esposa, só. E então no dia-a-dia nossa alimentação é bastante saudável, muita verdura e muitas frutas. A pressão ela corresponde a uma boa alimentação”.

Segundo a pesquisa Vigitel 2016, a maior parte dos casos de hipertensão arterial está sendo identificada em mulheres. Para tratar essas pessoas, mais de 76% das Unidades Básicas de Saúde em todo o país disponibilizam anti-hipertensivos e outros medicamentos que ajudam a controlar a pressão alta. Para saber mais sobre a Vigitel, acesse www.saude.gov.br.

COMPARTILHAR