Iguatu realiza ato público contra a Reforma da Previdência

Servidores públicos, sindicalistas, alguns funcionários da rede privada, magistrados, políticos, autoridades locais e centenas de populares foram às ruas na manhã desta quarta-feira, 15 de março de 2017, para protestarem contra a Proposta de Emenda à Constituição que prevê a Reforma da Previdência Social no Brasil.

Em todo o país foram registrados atos públicos em vários municípios como marco de manifestações contra o atual Governo Temer e principalmente contra a Reforma da Previdência.

Em Iguatu os sindicatos se reuniram e mobilizaram seus associados para uma passeata saindo da Praça da Caixa Econômica Federal e saíram pelo centro da cidade com palavras de ordem, cartazes e faixas.

Dentre os entrevistados pela reportagem da Rádio Mais FM, a classe mais prejudicada serão as mulheres, pois deverão trabalhar até os 65 anos de idade com 49 anos de contribuição junto ao INSS, fato esse contestado por todas as categorias.

Os organizadores do movimento ainda alertaram para o trabalhador rural, que já exerce atividade exaustiva e com a mudança será penalizado tendo que trabalhar mais para conseguir se aposentar.

Foi consenso afirmar que apenas os banqueiros e grandes empresários serão beneficiados com tal reforma, pois força o trabalhador de qualquer categoria a migrar para a Previdência Privada se deseja para se aposentar.

Clique abaixo e confira entrevistas realizadas durante o evento:

COMPARTILHAR