Saboeiro: Agricultores do distrito de São José amargam drama da seca e da falta de água

Moradores fazem cacimba em busca de água para beber. Fotos de Amauri Alencar

Os moradores e agricultores de base familiar do distrito de São José, distante 25 km da sede do município de Saboeiro, enfrentam dificuldades em decorrência da seca: escassez de água e perda de produção de grãos. O açude que abastece a localidade, único reservatório que há na comunidade, secou em 2018, deixando mais de 250 famílias sem água para o consumo.

A solução é cavar cacimbas no porão do açude na tentativa de conseguirem água para o consumo, embora de péssima qualidade, excesso de ferro. A água distribuída por caminhão pipa é salgada, reclama os moradores. Há um dessalinizador, mas a água só atende a demanda de uma escola da rede municipal de ensino.

O agricultor Francisco Gomes de Sousa disse que a água dos caminhões pipa não serve para beber e não atende a necessidade dos moradores. “Alguns moradores são beneficiados, mas outros não”, disse. ” É triste vermos as pessoas pedindo água para consumirem e não podermos fazer nada, além dos animais que já estão morrendo”.

José Ronildo Bezerra de Brito disse ser preocupante a situação de escassez dos recursos hídricos na localidade. “Esperamos que a administração faça alguma coisa por nós”, disse. “Estamos comprando água a proprietários de carros pipas particulares”.

Com colaboração de Amauri Alencar \ Diário Centro Sul

COMPARTILHAR