Seus aplicativos sabem muito sobre você? Você autorizou!

Mesmo com a necessidade de consentimento, é surpreendente o nível de acesso que alguns aplicativos têm de seus dados pessoais.

É comum termos em nossos smartphones diversos aplicativos para os mais variados objetivos, de lanterna a editor de fotos. Esse número varia entre 60 e 90 aplicativos por aparelho em média. A maioria deles pede informações como nome, endereço de e-mail ou físico e não é incomum que acessem câmera ou microfone.

Você deve estar se perguntando como isso é possível, e a resposta é simples. Você autorizou! Mesmo com a necessidade de consentimento, é surpreendente o nível de acesso que alguns aplicativos têm de seus dados pessoais. Recentemente, a Symantec fez um levantamento com os 100 aplicativos gratuitos mais populares para Android e iOS e as descobertas foram alarmantes.

Na maioria dos casos há uma boa razão para que os aplicativos exijam localização e acesso à câmera. Por exemplo: um aplicativo de táxi precisa acessar a localização exata de um usuário para informar ao motorista para onde ir, mas a pesquisa procurou saber se os aplicativos não solicitam informações além das necessárias.

Um exemplo: 45% dos aplicativos Android e 25% dos aplicativos iOS mais populares solicitam rastreamento de local. Outro dado preocupante, 46% dos aplicativos Android e 25% da plataforma iOS solicitam permissão para acessar a câmera do seu dispositivo. Alguns apps para Android até pedem para acessar as mensagens SMS e registros de chamadas telefônicas.

Entre as informações de identificação pessoal que os aplicativos solicitam, em primeiro está o endereço de e-mail, solicitado por 48% dos aplicativos iOS e 44% pelos Android analisados. Em seguida, 33% dos apps iOS e 30% dos aplicativos para Android solicitam o nome completo do usuário. Já os números de telefone foram pedidos por 12% dos aplicativos iOS e 9% para Android. Por fim, o endereço físico do usuário foi compartilhado com 4% dos aplicativos de iOS e 5% dos aplicativos de Android.

Mas não para por aí, já que muitos aplicativos se integram às mídias sociais para que o usuário possa fazer login. A facilidade de decorar menos senha pode ser perigosa, já que o app pode coletar dados da conta de redes sociais.

Os aplicativos também pedem, em muitos casos, permissão para acessar vários recursos em seu dispositivo móvel. Por exemplo, se você quiser tirar uma foto usando um aplicativo de rede social, o app precisará de permissão para usar a câmera do seu dispositivo. Entre as diversas permissões que o aplicativo pode solicitar, o estudo analisou as mais arriscadas, que envolvam informações particulares ou que possam afetar os dados armazenados ou o acesso de outros aplicativos a dados como localização do usuário, contatos, mensagens SMS, registros do telefone, câmera ou calendário.

A campeã no acesso a permissão arriscada foi a câmera, com 46% dos aplicativos de Android e 25% dos aplicativos de iOS. Em segundo lugar estava o rastreamento de localização, que foi solicitado por 45% dos aplicativos de Android e 25% dos aplicativos de iOS. 25% dos aplicativos de Android solicitaram permissão para gravar áudio, enquanto 9% dos aplicativos de iOS fizeram o mesmo. Por fim, 15% dos aplicativos de Android solicitaram permissão para ler mensagens SMS e 10% pediram para acessar registros de chamadas telefônicas. Nenhuma dessas permissões está disponível no iOS.

É importante ressaltar que, por mais que sejam consideradas permissões arriscadas, não significa que elas não devam ser concedidas. Porém, é preciso parar de aceitar todos os termos solicitados sem antes ler para entender se o pedido é realmente relevante. Por exemplo, você realmente quer dar a um aplicativo de lanterna acesso às suas ligações e mensagens de texto?

Embora cada aplicativo tenha seu próprio conjunto de permissões e políticas de privacidade, existem vários fatores que podem complicar. Alguns aplicativos independentes, por exemplo, exigem aplicativos ou links adicionais para sites de terceiros para funcionarem corretamente (por exemplo, publicidade gráfica) ou para fornecer funcionalidades adicionais, como a instalação de temas ou níveis adicionais em jogos.

Antes de instalar um aplicativo, sempre leias as permissões necessárias e pense no motivo do aplicativo solicitá-las. Se o aplicativo já estiver instalado, em dispositivos Android é possível remover permissões desnecessárias acessando o menu Configurações e clicando em Permissões. A remoção de permissões pode fazer com que um aplicativo mal projetado pare de funcionar. Aplicativos bem projetados indicarão se precisam de permissão quando você tentar executar a função que exige isso. No caso de aplicativos de iOS, você pode remover permissões desnecessárias acessando o menu Configurações e clicando em Privacidade.

Os pontos tratados acima são apenas um resumo do que pode estar em jogo, mas servem de alerta para que você proteja sua privacidade e evite conceder permissões excessivas. Na correria do dia a dia nem sempre conseguimos dar atenção a temas como esse, mas gastar alguns minutos a mais vale a pena para não correr o risco de expor dados sensíveis.

Fonte: Olhar Digital

COMPARTILHAR