O interior do Ceará teve parcela significativa de representantes realizando o vestibular 2020.1 da Universidade Estadual do Ceará (Uece). Dos 45.614 candidatos inscritos, 19.476 são de fora da Capital. A parcela representa 42% dos postulantes ao ensino superior público estadual. O vestibular ocorreu na manhã desta sexta-feira, 15, feriado da Proclamação da República. Do total de inscritos, apenas 2.534 conseguirão vaga, sendo 1.268 para cursos em Fortaleza e 1.266 para cursos no interior do Estado.

Oito mil candidatos interioranos realizaram prova nos seis campi da Uece distribuídos pelo território cearense: Cratéus, Iguatu, Itapipoca, Tauá, Quixadá e Limoeiro do Norte. A outra parte, cerca de 11 mil, foi distribuída no Campus do Itaperi e no Centro de Humanidades da Instituição, em Fortaleza. O transporte desses candidatos para a Capital ficou a cargo das prefeituras municipais e da Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc).

Presidente da Comissão Executiva do Vestibular (CEV) da Uece, Fábio Perdigão destacou que essa edição do vestibular é a maior dos 44 anos de aplicação da prova. Segundo ele, o número de estudantes do interior teve grande impacto para atingir o recorde de inscritos no concurso. “Essa mobilização da Seduc para trazer os alunos das escolas públicas estaduais aumentou o número dos nossos candidatos e aumentou a chance dessas pessoas de cursarem uma graduação na Universidade”, pontuou Fábio.

De Aquiraz, por exemplo, saíram quase 600 estudantes, transportados em 17 ônibus. Além de terem acesso a lanche, os alunos foram acompanhados por professores, diretores e secretários escolares. Desse total de alunos, 104 eram da Escola de Ensino Médio em Tempo Integral Raimundo Tomáz.

Pouco tempo antes de encerrar a primeira fase do vestibular, às 13 horas, Márcia Molina, coordenadora da Raimundo Tomaz, organizava, em frente ao Campus da Uece no Itaperi, a volta para casa dos vestibulandos sob sua tutela. “É a chance de muitos desses jovens mudarem seu estilo de vida e a história de vida de suas famílias. Muitos deles serão os primeiros a entrarem numa universidade e a construir uma trajetória profissional com a melhor formação possível”, disse Márcia.

Monalisa Rodrigues, 18, estudante da Escola de Ensino Médio João Alves Moreira, no município de Aracoiaba, distante 92,4 km de Fortaleza, saiu de casa às 4h30min desta sexta-feira,15. Chegou ao local de prova com duas horas de antecedência. “Cheguei adiantada para não ter empecilho. Eu ainda fui procurar a sala, me situar”. A aluna agradeceu ainda à Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação (Crede 08) por ter disponibilizado, pela primeira vez, veículos para transportar os estudantes de todas as escolas da região que se inscreveram para o vestibular.

Conforme o presidente da Comissão Executiva do Vestibular da Uece, Fábio Perdigão, o certame ocorreu de forma tranquila. De acordo com ele, o problema mais recorrente, assim como em anos anteriores, foi de candidatos sem o documento de identidade com foto, necessário para a realização do concurso. “A gente ressalta o esquema de segurança severo, com detector de metais em todos os locais de provas”, frisou.

De acordo com Fábio, o número de faltosos ainda é incerto, mas está entre 10% e 15%. Além disso, cerca de 100 candidatos precisaram de algum tipo de ajuda para realizar o vestibular. O presidente do CEV lembra aos candidatos que passarão para a segunda fase do vestibular 2020.1 que é preciso levar os documentos necessários.

Fonte: O Povo