Alunos de uma turma do Ensino Médio deixaram de frequentar as aulas de um professor denunciado por assédio sexual em Juazeiro do Norte, no Ceará. Oito estudantes procuraram a delegacia para denunciar o caso, e os demais alunos se recusaram a ir para a sala de aula do professor suspeito.

“Eu não consigo entrar na sala de aula e fingir como se nada tivesse acontecido. Eu me recuso a assistir a aula dele. Tô saindo prejudicada com isso, eu reconheço, mas não dá pra ficar dentro de uma sala com uma pessoa desse tipo”, afirma uma aluna.

Segundo relato de estudantes, o professor tentou beijar estudantes à força e fez comentários abusivos sobre as roupas e comportamento. “Quando eu me virei, ele botou a mão no meu rosto e tentou me beijar. Eu empurrei ele pra trás, virei o rosto e saída sala”, diz uma estudante.

Investigação do caso

A Secretaria da Educação do Ceará afirmou que “adotou as providências necessárias e abriu sindicância para apuração do caso”. Segundo a pasta, a gestão da escola e os estudantes foram ouvidos. A Polícia Civil de Juazeiro do Norte abriu um inquérito para investigar o caso.

Os estudantes que denunciam o professor são garotos e garotas com idade média de 16 anos. “De repente, do nada, ele mudou de assunto e começou a se aproximar de mim. Daí ele ficou olhando pra mim e ficou olhando pra baixo. E começou a perguntar se eu tava usando roupa íntima”, diz um aluno da escola pública.

“A gente tava ao redor dele, eu e mais duas colegas minhas, aí ele pegou, tava falando do meu short, aí eu disse assim: ‘Não é da sua conta, meu corpo, eu faço o que eu quiser. Você pode até olhar, mas não pode tocar nem fazer comentário idiota'”, acrescenta outra garota que diz ter sido assediada.

Fonte: G1 CE