Alunos e pais dos estudantes denunciam as condições da estrutura da Escola Estadual Dom Hélder Câmara, no Bairro Quintino Cunha, em Fortaleza. O prédio está sendo sustentado por escoras nas parte interna e externa e as aulas continuam mesmo em meio às obras de recuperação, o que assusta quem frequenta o local.

De acordo com a Secretaria de Educação do Estado do Ceará, contudo, foram adotadas as medidas necessárias para garantir a segurança da comunidade escolar. O órgão afirmou ainda que as intervenções são orientadas pela Superintendência de Obras Públicas (SOP) e a maior parte dos serviços serão realizados durante as férias escolares.

A escola atende alunos de 14 a 20 anos, nos turnos manhã, tarde e noite. De acordo com uma professora da instituição, que preferiu não se identificar, a reforma começou em junho e poucas pessoas trabalham nas intervenções.

O prédio tem aproximadamente quinze salas e a principal necessidade era a reforma da caixa d’água, que tinha risco de desabar, segundo professores.

De acordo com uma aluna, os estudantes passaram uma semana sem aulas devido ao risco de acidentes. Ela afirma que problema já foi solucionado com a troca do equipamento, mas o prédio ainda tem problemas em paredes, azulejos, pintura e calçadas.

Liana Fernandes Souza, mãe de uma aluna do Dom Helder Câmara, afirma que tem medo de deixar sua filha na escola por causa de situações de risco que já aconteceram em escolas com problemas de estrutura. A estudante já passou duas semanas sem ir por medo de algum acidente, “ela reclamava, dizia que tava com medo, até uma vez ela vinha para o colégio, mas desistiu de vir”, conta a mãe.

Fonte: G1 CE