A conclusão de grandes equipamentos hídricos como a transposição do Rio São Francisco e Cinturão das Águas, manutenção de programas como Seguro Safra, Bolsa Estiagem, renegociação de dívidas de agricultores, aporte de milho, são exemplo de ações que a presidente Dilma Rousseff (PT) deve garantir ao Estado, para que os 176 municípios em colapso de água possam sobreviver a mais um ano de estiagem. O anúncio feito pela Funceme de que o inverno de 2015, no Ceará, seja 64% abaixo da média, levou o governo do Estado a apertar o cinto, pedir ajuda do governo federal, e tomar decisões enérgicas como a suspensão de repasse de verbas para o patrocínio e apoio a qualquer evento festivo relacionado ao Carnaval, além de planejar ações de conscientização do uso racional da água.

À DISPOSIÇÃO

De acordo com o deputado federal e vice-presidente nacional do PT, José Nobre Guimarães, a disposição da presidente é ajudar tudo aquilo que for “solicitado” para amenizar a situação do homem do campo e das cidades que vão ter problemas com abastecimento de água.

Conforme a Companhia de Gestão e Recursos Hídricos do Ceará (Cogher), todos os reservatórios estão chegando a 20% de suas reservas. Diante da problemática, Guimarães assegura que Dilma tem “efetivo compromisso” com o Estado, portanto, a seca será trabalhada em parceria Estado-União.  “Nunca a presidente deixou de ajudar o Ceará nessas horas. Pelo contrário, o programa Água Para Todos (Projeto de universalização da Água), as ações hídricas que estão sendo executadas têm a participação majoritária do governo federal, assim como o Cinturão das Águas e as adutoras de engate rápido”, frisa.

GARANTIA HÍDRICA

Camilo Santana, mesmo antes de assumir o Estado, esteve com a presidente Dilma, em Brasília, com o objetivo de assegurar verbas para a primeira etapa do Cinturão das Águas, investimento de R$ 1,4 bilhão, bem como a transposição cuja expectativa é ser finalizada este ano, calculada em cerca de R$ 8,2 bilhões, enfatiza que o Ceará terá sua segurança hídrica, sem depender de chuvas, apenas com a finalização dos equipamentos.

Contudo, o plano em construção que deverá ser entregue à presidente é, segundo Camilo, essencial para nortear as ações que precisam ser realizadas em cada um dos municípios, o que possibilitará antecipar problemáticas e intensificar obras. “Vou pedir uma reunião com a presidenta Dilma para apresentar as nossas demandas, para que possamos garantir recursos necessários para a perfuração dos poços, carros-pipa, adutoras e obras que estão em curso do Ceará”, reverberou Camilo.

COMITÊ DA SECA

Além de contar com a ajuda do governo federal, o Estado se organiza com outras frentes estaduais. Antes do anúncio da probabilidade de mais um ano de seca, o Comitê Integrado da Seca do Estado do Ceará já havia realizado reuniões, em que se discutiu  as necessidades dos municípios em relação ao milho e ao abastecimento de água.  Em 2014, foram perfurados 600 poços em áreas urbanas e rurais do Estado, além de serem entregues 211 projetos de abastecimento d’água, beneficiando 9.529 famílias. O comitê foi criado, em 2012, pelo governo de Cid Gomes. “O trabalho vai continuar, e estaremos aqui para intermediar com os órgãos do Estado e do governo Federal as soluções e encaminhamentos necessários”, ressaltou Dedé Teixeira.

CARNAVAL 2015

A decisão de Camilo de suspender, por meio de um decreto, na última quarta-feira (21), o repasse de verbas para as festas de Carnaval deste ano nos municípios do Ceará, com o intuito de canalizar esforços e recursos públicos para setores que precisam de atendimento emergencial para combater a estiagem e que afetam diretamente a rotina da população cearense, foi visto com bons olhos entre os parlamentares estaduais. “Não poderia ter tomado decisão melhor”, apontou o deputado de oposição Heitor Férrer (PDT).  Já o deputado Roberto Mesquita (PV) disse que a decisão do governador respeita as pessoas que estão passando necessidades pela falta de água. “Parabéns ao Camilo, que tomou uma decisão correta, lúcida e serena”, disse.  O município de Sobral, que acatou a decisão, espera economizar cerca de R$ 800 mil, que devem ser destinados a ações de combate à seca.

MP

O governo também contará com o apoio do Ministério Público do Estado, com ações de conscientização do uso racional da água e a priorização do uso dos reservatórios para abastecimento humano. Na próxima sexta-feira (30), uma reunião com o PM e a Cogher definirá detalhes das possíveis medidas a serem adotadas. 

 

Fonte: O Estado CE