O primeiro carnaval a gente nunca esquece, mesmo que a lembrança venha por fotos que só poderão ser vistas daqui a alguns anos. Na Santa Casa de Misericórdia de Sobral, na região Norte do Ceará, pais de bebês prematuros internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal II do hospital puderam registrar esse momento especial na vida dos filhos recém-nascidos. Nesta quinta-feira (20), eles participaram de ensaio fotográficos fantasiados com perucas e adereços carnavalescos.

“Hoje estou tendo o primeiro contato mais próximo com minha filha, é uma emoção indescritível. Apesar da situação, é incrível poder presenciar ela tão pequeninha já comemorando a festa”, ressalta Samila Silva, 19, natural de Crateús, mãe da pequena Ryana Sophia.

A filha nasceu prematuramente, com 25 semanas e 910 gramas, e mesmo com apenas uma semana de vida, já pôde vivenciar, nos braços da mãe, a sensação de brincar o carnaval.

O sentimento de felicidade é compartilhado por Leidiane Rocha, 25, natural de Cruz e mãe de Daniel Ravi, que nasceu há 13 dias com 1,20 kg, e do pequeno Daniel, de quatro anos. “Meu filho, com apenas 13 dias, embora internado, já está vivendo seu primeiro carnaval”, comemora a mãe.

Cuidado humanizado
Os bebês, apesar de terem estado delicado, são colocados no colo das mães e recebem as fantasias. A ação humanizada, segundo a enfermeira e coordenadora da UTI Neonatal II, Renides Brasil, ajuda no processo de recuperação das crianças e, também, das mães. Em dezembro do ano passado, a Santa Casa já havia proporcionado uma sessão de fotos de Natal para os prematuros internados.

“É um momento de festa. Quando elas observam os filhos fantasiados, é um estímulo para levarem os pensamentos às futuras festinhas que eles viverão”, ressalta a enfermeira.

“Tentamos minimizar a ansiedade e transformar a dor e a tristeza. Elas (mães) compartilham com a família, que não pode estar aqui”, acrescenta a enfermeira.

Técnicas
Além dos cuidados de saúde necessários, os bebês recebem, na unidade, outras ações de humanização, como a hidroterapia e a “redeterapia”. A primeira técnica pode ser usada no tratamento coadjuvante, na terapia de sono, para estimular a alimentação do bebê, na redução da dor e estresse e na prevenção de anormalidades posturais.

Na “redeterapia”, os bebês mais estáveis são colocados em redes especiais dentro da incubadora. O método ajuda a criança a adquirir uma posição mais confortável, semelhante à que estava no útero materno.

Fonte: G1 CE