O maior confronto do futebol cearense ganha um capítulo derradeiro neste domingo (10), quando Ceará e Fortaleza acirram a disputa pela permanência na Série A do Brasileiro. Soa como corriqueiro frisar o clima de decisão que circunda o Clássico-Rei centenário, mas esse duelo tem peso sublime nas últimas sete rodadas e pode consagrar o trabalho dos técnicos – e até formar novos ídolos em 2019.

O mando da vez na Arena Castelão é tricolor, às 19 horas, só que o equilíbrio faz jus à temporada dos arquirrivais. Reflexo imediato na tabela, com Vovô e Leão empatados em 36 pontos – igualdade que persiste desde o encerramento do 1º turno, desta vez com vantagem alvinegra no saldo de gols: 1 contra -6.

O caminho então passa por ajustar os detalhes na busca por melhor sorte. Foi assim no confronto da 13ª rodada, quando o Ceará apresentou superioridade e venceu por 2 a 1. Placar fruto da imposição de um sistema de marcação que anulou o esquema 4-2-4 de Rogério Ceni.

Apostas

Agora, o embate à beira do gramado é com Adilson Batista, o que faz o duelo de estratégias crescer uma vez que os comandantes nunca se enfrentaram. Como optam pela manutenção do sistema em detrimento do adversário, ambos irão propor uma armação que passa pelos respectivos artilheiros Wellington Paulista (12) e Thiago Galhardo (10).

O poder individual tem força em uma atmosfera preenchida pela tensão. O camisa 9 do Fortaleza atravessa o melhor momento desde a chegada, ainda no Campeonato Cearense, e será explorado tanto na bola aérea como na função de pivô fora da área.

Por outro lado, o posicionamento não definido é justamente o trunfo de Galhardo, que já atuou como centroavante, segundo atacante e até camisa 10. Termômetro do clube na elite nacional, foi anunciado como principal reforço e correspondeu, apesar do momento de oscilação.

Se o momento é determinante, o histórico tem uma parcela considerável de contribuição e atende por atletas calejados no Clássico-Rei: Osvaldo e Ricardinho. Para além do balançar das redes, os jogadores crescem no confronto e podem decidir, principalmente no atributo da assistência. Além das referências, é preciso superar também as adversidades.

Por suspensão, o Fortaleza não terá o meia Marlon, que recebeu 3º amarelo diante do Corinthians. Mesmo sem agradar totalmente as arquibancadas, o jogador é sempre acionado por Ceni no 2º tempo para fechar espaços e melhorar a marcação. Romarinho, que deixou o último jogo com dores musculares, está à disposição para o Clássico-Rei.

Já o Ceará tem duas baixas confirmadas pelo mesmo motivo: o volante Pedro Ken e o atacante Bergson. O clube ainda vai avaliar o estado clínico de Willian Oliveira e Luiz Otávio, que deixaram o gramado sentido dores musculares diante do Internacional, se tornando dúvidas para o duelo.

Fonte: Diário do Nordeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor digite seu nome