Uma equipe de cientistas das universidades de Alberta e Toronto esboçaram uma “bateria quântica” que jamais perderia sua carga. A tecnologia ainda não foi produzida, mas caso eles consigam montar a teoria na prática, seria uma inovação revolucionária no armazenamento de energia.

“As baterias com as quais estamos familiarizados – como a bateria de íons de lítio que alimenta seu smartphone – baseiam-se em princípios eletroquímicos clássicos, enquanto as baterias quânticas dependem apenas da mecânica quântica”, disse Gabriel Hanna, químico da Universidade de Alberta.

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado no Journal of Physical Chemistry C. em julho deste ano. Ele explica que a bateria funciona aproveitando o poder da “energia excitônica”, que é o estado em que um elétron absorve fótons suficientemente carregados.

Os pesquisadores, então, descobriram que o modelo de bateria resultante deve ser “altamente robusto às perdas de energia”, graças ao fato da bateria ser preparada dentro de um chamado “estado escuro”, no qual não é possível trocar energia com o ambiente, seja absorvendo ou liberando fótons.

Ao quebrar a rede quântica do estado escuro, os pesquisadores afirmaram que a bateria poderia descarregar e liberar energia no processo. No entanto, a equipe ainda não encontrou soluções viáveis para tornar isso possível. Eles também estão tentando descobrir uma maneira de escalar a tecnologia para aplicativos do mundo real.

Fonte: Olhar Digital