No final da tarde dessa quarta-feira, 07, o Corpo de Bombeiros Militares do Estado do Ceará, comemorou seus 94 anos de existência e os 30 anos do 1ª Companhia de Bombeiros do 4º Batalhão de Bombeiros Militares (Quartel de Iguatu) em Iguatu.

A solenidade contou com homenagens a parceiros do trabalho dos bombeiros em Iguatu e também a profissionais de destaque por sua atuação.
O batalhão é liderado, desde 2013, pelo Tenente Coronel Nijair Araújo Pinto, que recebeu a presença do Comandante Geral Adjunto do Corpo de Bombeiros, Coronel Clayton Bastos.
Entre os presentes e homenageado esteve o médico e ex-prefeito de Iguatu, dr. Hildernando Bezerra, então prefeito no quando da implantação na cidade.

Foto: Thiedo Henrique

Certificado Amigo do Bombeiro
Na oportunidade desse momento festivo, o comando do CBMCE e o comandante de Iguatu resolveram homenagear alguns cidadãos que colaboraram para o cumprimento da missão Bombeiro-Militar, agraciando as seguintes autoridade com o Certificado de Amigo do Bombeiro.

Do Grupo KG, a Senhora Rosângela de Oliveira Lopes, da CDL, o Senhor Francisco José Mota Luciano, do SINDLOJA, o Senhor Carlos Tadeu Rodrigues Rolim, da AABB, o Senhor Roberto de Oliveira Lopes, da Endicon, o Senhor Franceilton Fenelon de Menezes, da SAAE, o Senhor Edval Lavor Bezerra, da Teixeira Construções, o Senhor, Antônio Luiz Teixeira Pinheiro, o Médico Jorge Madrigal Azcuy, o MPCE, o Promotor Flávio Côrte Pinheiro de Sousa e a MAIS FM, Senhor Jan Messias.

Foto: Thiedo Henrique

Histórico
Inicialmente denominada de Pelotão de Bombeiros, esta instituição foi criada pelo Desembargador José Moreira da Rocha, então Governador do Estado, no dia 8 de agosto de 1925, por meio da Lei no 2.253. Tinha como objetivo principal combater incêndios em Fortaleza.

Em 1º de janeiro de 1934, começou a funcionar de fato, sob o nome de CORPO DE BOMBEIROS DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO. Tendo como comandante o primeiro-tenente Francisco das Chagas Nogueira Caminha, contava com um efetivo de 30 homens, advindos do Corpo de Segurança Pública (hoje Polícia Militar do Ceará) e da extinta Guarda Civil, os quais haviam tido como instrutor o segundo-tenente Antônio da Cunha, do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal.