Com o intuito de preparar os agentes de segurança pública para as diversas missões que executam no bioma da Caatinga, em seu dia a dia, os alunos do Curso de Operações Táticas Rurais (Cotar) participam esta semana de um treinamento para sobrevivência na Caatinga, no município de Novo Oriente, Área Integrada de Segurança 16 (AIS 16).

No total, 40 alunos participam da instrução, sendo 37 policiais militares do estado do Ceará; dois PMs do Piauí; e um agente da Secretaria de Administração Penitenciária do Ceará (SAP).

A semana rústica, como é chamada esta etapa do treinamento, é importante para adaptar os policiais ao clima do sertão e prepará-los para o cumprimento de missões de alta complexidade, como assalto a banco, em estado de fadiga e esforço físico.

“A fase da sobrevivência é uma das mais importantes do curso de operações táticas rurais, pois leva o aluno a ter um contato aprofundado com a ambiente Caatinga, sentindo as altas e baixas temperaturas; aprendendo a fazer abrigos e armadilhas; obtendo fogo, água e alimentos; decifrando rastros e sinais e o principal, testando sua resistência em um ambiente tão hostil. Conseguindo obter êxito nessa fase, o policial não estranhará quando acionados para uma ocorrência em que os infratores estejam homiziados na Caatinga, pois já terá vivenciado tal situação”, explicou o 1° Tenente PM T.Sousa, um dos instrutores do curso.

Esta é a 7ª edição do curso promovida pela Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (Aesp/CE) com o objetivo de habilitar profissionais para o ingresso no efetivo do Cotar do 4º BPChoque – Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (Bepi) – Unidade subordinada ao Comando de Policiamento de Choque (CPChoque) da Polícia Militar do Ceará, e tem previsão de término no dia 16 de outubro.

Fonte: Governo do Estado do Ceará