Encontrar refúgio em meio às adversidades é um desafio de autodescoberta pelo qual muitos jovens passam. Em Cascavel, distante 65 Km de Fortaleza, o acolhimento para alguns veio através do esporte. No caso de Wandson, do futebol. Atacante do Atlético/CE, o atleta de 21 anos enfrentou um passado pobre e achou dentro de campo seu motivo para continuar persistindo por uma vida melhor e para se afastar de vez do envolvimento com as drogas.

A paixão pelo futebol começou em um projeto social. O talento do jovem o levou para a base do Fortaleza. Uma nova fase para Wandson, distante de seu lar. Era a chance de mostrar suas habilidades na capital cearense.

E o atacante a agarrou. Galgando seu espaço no Leão desde sua chegada em 2016, brilhou no Sub-17 como artilheiro até ser vice-campeão cearense Sub-20. Enfim, chegou ao elenco profissional, onde disputou dois jogos na campanha do título estadual.

Porém, os poucos meses de destaque foram ofuscados por uma recaída. A carreira de Wandson entrou em risco no momento de sua 1ª ascensão.

“Acabei me envolvendo com pessoas erradas. Passei três meses preso. Escutava muita mensagem dizendo que eu estava acabado no futebol. Mas eu colocava na minha cabeça: ‘Vou conseguir’. Quando saí, o Fortaleza me deu outra chance. Hoje estou aqui. Um novo Wandson. Pronto para vencer”, conta o atleta, emocionado.

Em 2019, chegou ao Atlético/CE, onde recebeu o apoio necessário para escrever outro capítulo de sua história. “Vimos que o amor pelo futebol é maior que qualquer coisa na vida dele. Fizemos de tudo para que ele tratasse do físico dele primeiro. Sempre dissemos que não queríamos pressa para entrar em campo. Não adianta ter essa estrutura e não querer nada. A nossa intenção é que o Wandson não faça gols só dentro de campo, mas fora dele também”, conta a presidente da Águia, Maria Vieira.

Wandson atua pelo lado direito do ataque, onde já anotou seis gols em dez jogos no Cearense 2020, tornando-se um dos artilheiros ao lado de Cléber (Barbalha) e de Ciel (Guarany de Sobral). Sua evolução, entretanto, não para dentro das quatro linhas.

“Quando chegou aqui, até fiquei meio assim: ‘Será que esse garoto quer alguma coisa?’. Mas em pouco tempo vimos a sua qualidade técnica. É um dos jogadores com mais intensidade durante os jogos. Não tenho dúvidas que logo estará em um nível alto em equipes grandes. É um jogador moderno”, diz Raimundo Vágner, técnico da Águia, que ocupa a 5ª posição na 2ª fase do Estadual, com seis pontos.

Fonte: Diário do Nordeste