Nesta quarta-feira (15), milhares de pessoas foram as ruas do Brasil protestar contra a medida do Governo Federal que bloqueia cerca de R$ 1,7 bilhão da educação. Em Iguatu alunos simularam um funeral como forma de protesto.

De acordo com organizadores, a ação foi uma crítica quanto ao que acontece no cenário nacional, simulando “a morte da educação”. Pelas ruas do município, alunos do IFCE, UECE e URCA, além de professores e outros manifestantes, estiveram reunidos em frente ao Campus Multi-institucional Humberto Teixeira.

Entenda

O Ministério da Educação (MEC) bloqueou, no final de abril, uma parte do orçamento das 63 universidades e dos 38 institutos federais de ensino. O corte, segundo o governo, foi aplicado sobre gastos não obrigatórios, como água, luz, terceirizados, obras, equipamentos e realização de pesquisas.

No Ceará, deputados estaduais se pronunciaram. Para Moisés Braz (PT), a situação é de se lamentar. “É vergonhoso o que está acontecendo. Temos aí uma UNILAB, onde recebemos os nossos irmãos afrodescendentes. Uma medida que apaga a UNILAB e outras Universidades públicas do nosao estado e do nosso país é inaceitável”.

Para o deputado estadual Soldado Noélio (PROS) é preciso batalhar para que os cortes não ocorram. “Nosso posicionamento é coerente. Qualquer tipo de corte na área da educação é um prejuízo lamentável e lastimável”, disse.

Fonte: Site A Notícia