Estamos vivenciando uma realidade desalentadora em nosso país. Os retrocessos se avolumam numa velocidade tão grande que está difícil manter-se atualizado. Fico embasbacado com a competência e a agilidade da “elite poderosa do atraso” em produzir e disseminar as chamadas “fakes” com o escancarado objetivo de desinformar e desviar o foco das atenções para tolices esdrúxulas que em nada contribuem para o avanço do conhecimento, a modernidade e a prosperidade de nossa Nação.

O projeto de imbecilização do Povo Brasileiro, gestado pelo Regime Ditatorial imposto em 1964, ainda hoje produz os seus mais vistosos e suculentos frutos, eivados pelo veneno da burrice e da ignorância. Realmente não foi à toa o que fizeram com a Educação deste país. O sucateamento do nosso Sistema Público de Educação, sempre regrado, indigente e sobrevivendo à míngua, com recursos insuficientes, hoje nos rende o título de 3º país mais ignorante do mundo! Não satisfeitos com essa colocação, ao que tudo indica, nossa elite dominante quer nos levar ao topo do ranking.

É estarrecedor para mim constatar que esbaltérios afirmados por nossas “otoridades” públicas em volta de uma salada de frutas (goiabas, mangas, abacaxis e laranjas); ou sobre a devida manutenção da genitália masculina; ou o jogo do vai e vem, hoje mentindo, amanhã desmentindo; ou a roupa suja e mal lavada da atual família imperial, com filhos mimados, mal educados e ignorantes, conseguem levar a população brasileira a um êxtase frenético, um verdadeiro estado de transe que nem os melhores médiuns conseguem fazer a performance, teatralizando uma incorporação dentro de um terreiro.

Dói na alma e na consciência daqueles que assim como eu se julgam letrados, politizados e conscientizados verificar a enxurrada de memes, postagem de caricaturas contraditoriamente geniosas e os mais diversificados tipos de exortações que surgem por um processo reprodutivo de bipartição celular, quando as asneiras são jogadas ao léu a fim de que nosso povo tenha com o que ocupar suas mentes e desenvolver a sua criatividade para aquilo que certamente é o que se pode ser de mais improdutivo para o nosso crescimento intelectual, político, profissional, espiritual, material e humano. Tenho plena certeza de que tudo isso é maquiavelicamente orquestrado para este fim.

Hoje o Bobo da Corte é o próprio rei. O Excelentíssimo Senhor Presidente da República, ladeado de seus familiares e corsários, não passa de um marionete, um fantoche, boneco de cera que muito diverte e cumpre os mandatos da super elite do atraso dominante deste país (Brasil é o país de maior concentração de renda). Os ideários ditatoriais do Século XX se reascendem, se revigoram e ressurgem com muito maior vitalidade e sagacidade do que no seu tempo de origem. Os sangue suga da vitalidade natural do nosso Povo se revigoram depois de um rápido processo de hibernação e voltam à fúria com muito mais apetite de devorar tudo o que é NOSSO.

Militarização, censura e corte de recursos sempre foi a receita padrão para subtrair do Povo os seus Direitos Inalienáveis (Educação, Saúde e Vida). É por isso que não conseguimos pensar, criar, estabelecer estratégias coerentes, eficientes e eficazes para dizer claro, alto, em bom som e em bom tom a PREVIDÊNCIA QUE QUEREMOS, A SAÚDE QUE QUEREMOS, A EDUCAÇÃO QUE QUEREMOS, AS RELAÇÕES DE TRABALHO QUE QUEREMOS, A QUALIDADE DE VIDA QUE QUEREMOS. Para isso precisamos nos reinventar, recontar nossa História, reconstruir caminhos e estratégias, refazer o nosso Brasil.

Não nos faltam os recursos financeiros. Quem leu as minhas colunas anteriores já percebeu que o que acontece é uma mal versação do dinheiro público no Brasil. Farras nos 3 Poderes, superfaturamento, desvios, desperdícios e roubo são a tônica do dia a dia republicano. Não falta dinheiro para arcar com os investimentos nos Direitos Básicos da população. Na verdade o que se quer é um povo ignorante, analfabeto, miserável, dependente de esmolas e migalhas para mais fácil e docilmente manipular, dominar e subjugar aos caprichos maquiavélicos da elite atrasada e burra.

Mas tudo tem o seu preço. São alarmantes os índices de criminalidade, violência e depredação do patrimônio público e particular. Já não se anda mais nas ruas de forma despreocupada. As residências estão se transformando em verdadeiras celas prisionais. Já faz muito tempo que estamos cumprindo prisão domiciliar perpétua, sem nem mesmo termos sido julgados. Por enquanto miseráveis, pobres e uma suposta classe média estão se engalfinhando entre si. Contudo, daqui mais um pouco esses 3 estarão igualados e vão se unir para devorar a burguesia e a elite atrasada dominante. Por isso que na minha Religião (afro descente) nós costumamos dizer que o mal é tão egoísta que ele acaba por destruir a si mesmo. Karl Marx já nos alertava que o Capitalismo é autofágico, consome-se a si próprio, destruindo-se!

  • Por Lúcio José de Oliveira