A Ferrari e o piloto alemão Sebastian Vettel anunciaram nesta terça-feira o fim da longa parceria estabelecida entre ambos na Fórmula 1. As duas partes divulgaram comunicado em que oficializam a permanência do tetracampeão na escuderia italiana somente até o fim deste ano. Com contrato válido somente até dezembro, Vettel não vai renovar o vínculo e ainda não divulgou qual será o seu destino em 2021.

Vettel chegou à escuderia italiana no início de 2015 após quatro títulos pela Red Bull. Pela Ferrari as duas melhores temporadas foram em 2017 e 2018, com dois vice-campeonatos. “O time e eu decidimos que não há mais desejo comum para permanecermos juntos para depois do fim desta temporada. Problemas financeiros não tiveram parte nesta decisão em conjunto”, disse o piloto.

O alemão agradeceu ao carinho da torcida e prometeu que durante os próximos meses do ano vai se dedicar à escuderia, assim como pensar no futuro. “É preciso usar a imaginação e criar uma nova abordagem própria para uma situação que mudou. Eu mesmo reservarei o tempo necessário para refletir sobre o que realmente importa quando se trata do meu futuro”, comentou. “Meu objetivo imediato é terminar minha longa temporada com a Ferrari, na esperança de compartilhar mais alguns momentos bonitos juntos”, completou.

Pela Ferrari, o piloto conquistou 14 vitórias e 12 pole positions. A temporada de 2019 foi a pior de Vettel pela Ferrari, ao ter encerrado a temporada com a quinta posição e atrás do companheiro de equipe, o monegasco Charles Leclerc. Os dois, inclusive, tiveram uma série de desentendimentos ao longo do ano. Um dos momentos mais tensos foi a batida entre ambos durante o GP do Brasil, quando ambos abandonaram a prova.

A escuderia italiana não indicou ainda qual será o substituto de Vettel. O chefe da Ferrari, Matia Binotto, reiterou que a decisão de não renovar o contrato com o piloto partiu de um consenso. “Não houve nenhuma razão específica que levou a essa decisão, além da crença comum e amigável de que tinha chegado a hora de seguirmos caminhos separados para alcançar nossos objetivos”, explicou.

Como por causa da pandemia do novo coronavírus a temporada 2020 só tem a previsão de começar em julho, Binotto diz torcer para que seja um campeonato memorável. “Ainda não conseguimos conquistar um título mundial juntos, o que seria um quinto para ele, mas acreditamos que ainda podemos tirar muito proveito desta temporada incomum de 2020”, comentou.

Fonte: Diário do Nordeste