O Firefox está testando uma nova ferramenta antirrastreio que vai impedir que os sites absorvam pegadas digitais do navegador e acompanhem o usuário mesmo depois que ele limpar os cookies. Além disso, a nova versão tem uma função de bloqueio explícito contra o cryptojacking, a ação de infectar o computador com malwares para minerar criptomoedas. Ambas as novidades estarão disponíveis, de início, nas versões Beta e Nightly, de acordo com o The Verge.

O fingerprinting, principal alvo da atualização, consiste na capacidade de sites e anunciantes online poderem rastrear o usuário ao reunir detalhes sobre a configuração de seu sistema: da especificação do sistema operacional até o tamanho da tela do aparelho. Os serviços podem usar essas pistas para construir uma pegada digital única e aplicá-la para rastrear o visitante pela web, mesmo que ele desative a ferramenta de rastreio.

De acordo com o Bleeping Computer, entretanto, o navegador é tecnicamente capaz de bloquear muitos desses malwares desde o fim de 2017, como parte de sua barreira contra ad trackers abusivos. O que muda é que, agora, o Firefox vai informar com clareza sobre esses bloqueios, e, se preferir, o usuário pode desativá-los apenas para mineradores de moeda digital.

Mozilla no ataque

Os novos recursos fazem parte de uma ação maior da Mozilla para incrementar a privacidade dos usuários. No ano passado, o Firefox 63 implementou o Enhanced Tracking Protection, uma novidade que bloqueia rastreadores de terceiros. Além disso, no mês passado, o navegador adicionou a ferramenta Tor, para ajudar a impedir o rastreamento de navegação.

A inédita tecnologia antirrastreio é oferecida pela Disconnect, que providenciou uma lista de domínios que usam as práticas abusivas. A empresa também oferece, atualmente, uma extensão do Chrome com serviços semelhantes no navegador do Google. Por padrão, o Chrome tem a opção de clicar em “Do Not Track” para que a função seja desligada.

As novidades do Firefox estarão disponíveis nas versões Nightly 68 e Beta 67 — elas estão desabilitadas por padrão, mas a Mozilla planeja uma função “opt-out” no Nightly para as próximas semanas. Por enquanto, para ativá-las, basta clicar na aba “Privacidade & Segurança” no menu “Preferências”, selecionar a seção “Custom” em “Bloqueio de Conteúdo” e marcar as caixas “Criptomineradores” e “Fingerprinters”.

Fonte: Olhar Digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor digite seu nome