Quando o Brasil foi escolhido como sede da Copa das Confederações em 2013 e Copa do Mundo 2014, o primeiro pensamento era que os principais jogos se concentrariam nos grandes centros financeiros, como São Paulo e Rio de Janeiro. Na prática, no entanto, a realidade foi diferente. Foi em Fortaleza que muitos dos principais espetáculos ocorreram.

Só a Seleção Brasileira atuou em três oportunidades, entre elas um jogo de quartas de final do Mundial. Isso sem falar em eventos como Itália x Espanha (semifinal da Copa das Confederações) e Alemanha x Gana (Copa do Mundo). Em 2015, um último contato. A Seleção enfrentaria a Venezuela pelas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia.

De lá para cá, o protagonismo cearense arrefeceu até retornar com tudo, na última semana, quando a Capital recebeu o jogo entre as lendas de Brasil e Itália, relembrando a memorável final do Mundial dos EUA, disputada em 1994.

O que parecia um amistoso simples, na verdade, foi uma grande oportunidade para a capital cearense demonstrar novamente a sua vocação para receber eventos esportivos de porte internacional.

Sucesso de audiência e público (18 mil pessoas em uma noite chuvosa de quinta-feira), o reencontro de lendas de 94 se tornou um bem-sucedido teste para o que pode vir pela frente. A Fifa tem aplicado com frequência uma política de destacar os grandes astros do futebol do passado. Tal valorização está sendo replicada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que tenta incluir de variadas maneiras, desde inserção na comissão técnica da seleção principal até a realização de eventos, os seus ex-atletas.

O jogo da última semana foi a execução de uma tendência seguida pelas entidades, além, de certa forma, aproximar ainda mais os antigos astros. Situação que pode culminar em mais um produto: torneio mundial de lendas, a reunir maiores astros da história recente do futebol. E a cidade cotada para receber tal evento? Justamente Fortaleza. Esta é a expectativa do presidente da Federação Cearense de Futebol (FCF), Mauro Carmélio.

“A experiência foi excelente, com a cobertura da imprensa e a adesão do torcedor. Isso pode ter sido uma boa razão para ter a competição”, disse.

O torneio de lendas, todavia, ainda está em fase embrionária. Fato é que a partida entre Brasil X Itália em Fortaleza foi observada com atenção pelos dirigentes do futebol nacional e internacional e vai gerar frutos futuros. O presidente da CBF, Rogério Caboclo, inclusive, esteve presente no evento ocorrido no Presidente Vargas.

A expectativa é que mais um jogo, agora relembrando 2002, entre lendas de Brasil e Alemanha, também aconteça para fortalecer a ideia. Não há confirmação em que cidade o evento irá ocorrer.

Segundo Carmélio, a proposta do torneio mundial de lendas será analisada pela Fifa. A expectativa é que a análise aconteça no 70º congresso anual da entidade que, neste ano, ocorre em Adis Abeba, capital da Etiópia, no mês de maio. “É um embrião. A Fifa irá analisar. Se houver, Fortaleza será a capital (sede). A Fifa deverá apreciar em assembleia”, disse.

Eliminatórias

Outro ponto que pesou a favor de um possível torneio de lendas foi o grau de seriedade com que partida foi encarada pelos atletas. O jogo em Fortaleza teve ritmo, rivalidade e até cara feia em lances mais ríspidos e na anulação do gol brasileiro. Sim, tal reação foi encarada como positiva, pois mostra o comprometimento dos ex-atletas com os jogos de futebol. Não foi apenas um racha, como se diz no Ceará.

O evento foi tão curioso que reaproximou Romário da CBF, fato antes impensado tendo em vista as divergências políticas entre o senador e os dirigentes da entidade. Com o torneio, a Fifa também pode levar a cabo reaproximações importantes no espectro mundial.

O protagonismo cearense ainda pode se ampliar, mas desta vez com mais um jogo da Seleção Brasileira. Mauro Carmélio também confirmou que Fortaleza está concorrendo com outras capitais nordestinas para receber o primeiro jogo da Canarinho pelas Eliminatórias da Copa do Mundo do Catar, que será disputado contra a Bolívia, dia 26 de março deste ano.A CBF promete que critérios técnicos serão adotados para a escolha da cidade e não políticos. Nesse aspecto, Fortaleza sai na frente, tendo em vista que o Castelão tem a maior capacidade de público do Nordeste e já recebeu diversos jogos de porte internacional.

Fonte: Diário do Nordeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor digite seu nome