Pelo segundo ano consecutivo a Rádio MaisFM Educativa promove uma homenagem à Iguatu para o aniversário da cidade.
A edição 2020, para o aniversário de 167 anos da cidade, é com a música “Igual a tu (Iguatu)”, do poeta e cirurgião-dentista Luis Eduardo Gondim.

Equipe de produção do vídeo de “Igual a Tu (Iguatu)”. Da esquerda para a direita; Jan Messias, Eduardo Gondim, Michel Prudêncio, Michael Prudêncio e João Andreson.


O lançamento do video-clip acontece no amanhecer na alvorada do dia do município, 25, abrindo a programação da rádio.

A primeira homenagem em 2019
No ano de 2019 foi realizada a produção do Hino de Iguatu, escrito pela poetisa e intelectual iguatuense Ósia de Carvalho.
O trabalho contou com a participação de Tamisis Queiroz, Helinho Gomes, Luan Layzon e Michel Prudêncio, jovens artistas do cenário cultural iguatuense.
Além da música, o vídeo, com direção de Jan Messias e montagem de Helinho Gomes, trouxe imagens de encher os olhos, mostrando a beleza e riqueza das terras do município.

Michael e Michel Prudêncio

Valorizando artistas da cidade
Para a edição desse ano a proposta foi além da canção em si.
O processo de produção envolveu um reencontro musical profundo. Isso porque os músicos participantes dessa edição, Michael e Michel Prudêncio, filhos do Maestro Mano Prudêncio (in memoriam), haviam tocado essa música ao lado do compositor Eduardo Gondim 17 anos antes.
Na ocasião Michel e Michael eram participantes do Projeto Arte Criança. Procurado sobre a proposta, Eduardo Gondim de pronto deu aval para o projeto e relembrou os tempos do Projeto Arte Criança.
O video-clip foi gravado em diversas locações de Iguatu, apresentado com um arranjo próprio e com músicos filhos de Iguatu.

Luis Eduardo Gondim, poeta autor de “Igual a Tu (Iguatu)”

Luis Eduardo Gondim, poeta e cirurgião dentista, carrega no sangue o amor pela arte, tendo como uma das inspirações o avô Júlio Barreto Gondim, que tocava clarineta.


A música que homenageia Iguatu foi escrita pelo poeta e cirurgião dentista Luis Eduardo Gondim.
Filho de nascimento do Cariri cearense, mas adotado por Iguatu desde a década de 80, música fez parte de sua vida desde cedo, com a influência do avô, Júlio Barreto Gondim, que tocava clarineta e era maestro em Jardim.
Escreve desde 1974, quando tinha apenas 14 anos, e participou de diversos festivais de música, nas cidades de Fortaleza, onde ficou em quarto lugar com a música Carmim, Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato, Caldas, Camocim, Cajazeiras, bem como do primeiro e único festival do Sesc Iguatu, em 1988.
Duas edições do projeto Performance Poética, do Sesc Iguatu, também levam seus escritos à apresentação e divulgação.

A música “Igual a tu (Iguatu)”, segundo ele, é uma declaração de amor à terra onde se vive, como se fosse a musa que inspira, como a beleza de uma mulher em flor de beleza, no linguajar mais poético.
São versos ricos em imagens, que levam a lembrar de detalhes da cidade, da vida no lugar e do cotidiano, desde os quintais ao cheiro das flores. A canção é do ano de 2003, quando Iguatu celebrava 150 anos de emancipação.

Os meninos de Mano
Filhos do Maestro Mano Prudêncio, falecido no ano passado, Michael e Michel Prudênio são artistas iguatuenses com trabalho na música e no teatro.


Com formação artística em casa desde cedo dada por Mano, maestro da Banda de Música de Iguatu, os irmãos eram participantes do Programa Arte Criança quando dividiram o palco com Luis Eduardo Gondim. A ocasião da apresentação era pelos 150 anos da cidade.

Desde então os irmãos desenvolveram outros projetos, com expressão para “Humbertos-Caravana Cearense do Baião”, espetáculo em homenagem ao compositor iguatuense Humberto Teixeira que circulou por várias cidades do Ceará e outras pelo nordeste e participou da programação especial da Rede Globo Nordeste para a homenagem ao compositor, ao lado de nomes de grande relevo da música. Atualmente Michael é servidor público e Michel Prudêncio desenvolve carreira como produtor e músico em Iguatu, trabalhando também no estudo e resgate de tradições da cidade, com ênfase no Bairro Santo Antônio, onde a família morou.