O CEO da Positivo BGH, Miguel Stief, visita a sede da Brisanet, na cidade de Pereiro, no Vale do Jaguaribe, no interior do Ceará, nos próximos dias 26 e 27 de maio, para discutir possibilidades de transferência de tecnologia entre o Brasil e os países do continente africano.

A agenda é promovida pelo Instituto Brasil África (IBRAF), ONG com sede em Fortaleza e em Acra, capital de Gana, que fomenta ações em prol do desenvolvimento socioeconômico do Brasil e da África.

O presidente do IBRAF, professor João Bosco Monte, acompanha a agenda do CEO Miguel Stief, que conta com visita às instalações e reunião com o empresário José Roberto Nogueira, fundador da Brisanet. “É motivo de alegria poder apresentar duas grandes empresas uma a outra. A transferência de tecnologia que a Brisanet pode fazer através dessa possível parceria com a Positivo BGH para um espaço tão importante como a África, onde 54 países têm economias que crescem mais que a média mundial, certamente está no alvo de grandes empresas. Entendemos que este é um momento oportuno de diálogo, que pode ser a gênese de outros negócios a surgirem mais à frente”, afirma o presidente do IBRAF.

A Positivo BGH é uma ‘joint venture’ entre a Positivo Informática – a maior fabricante de computadores do Brasil e referência na produção de tecnologias educacionais – e a argentina BGH S.A., empresa com mais de 100 anos de experiência na produção e distribuição de produtos e serviços de tecnologia.

Em 2015, a Positivo BGH inaugurou uma fábrica em Kigali, em Ruanda, com capacidade de produção de 60 mil unidades mensais entre equipamentos de TI, celulares e televisores. No mesmo ano, a empresa começou a atuar no Quênia, ingressando no programa de alfabetização digital do país, o JKUAT.

A Brisanet é considerada pela Anatel a melhor prestadora de serviços de telecom no Brasil. A empresa tem produção própria de tecnologia e equipamentos, o que permite a oferta de conexão de fibra ótica a baixo custo para cidades no interior do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. A Brisanet nasceu da visão de José Roberto Nogueira, que é natural de Pereiro e viveu até os 16 anos sem energia elétrica em casa. A valorização do potencial do semiárido nordestino faz da empresa um case de sucesso nacional.

“Eu tive a oportunidade de conhecer as atividades da Positivo BGH em Ruanda e no Quênia. Tive também a chance de ver, aqui no Brasil, uma grande iniciativa da Brisanet. Essas duas experiências me fizeram pensar na aproximação de uma empresa com a outra. Nossa expectativa é que a conversa se traduza em oportunidades. O Instituto Brasil África tem promovido, entre suas atividades, a aproximação de interesses brasileiros na África e africanos no Brasil. Esta visita é muito importante, porque abre para o Ceará a chance de ter mais tecnologia desenvolvida aqui no Brasil sendo levada para a África e para outras regiões”, afirma o presidente do IBRAF, Prof. João Bosco Monte.

Fonte: Diário Centro Sul