Um grupo de 90 estudantes que se encontram no 12º período letivo do curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) foi autorizado a se formar antecipadamente para atuar contra o novo coronavírus. A decisão foi proferida pela Justiça Federal e o despacho divulgado nesta terça-feira (24).

De acordo com o Sindicato dos Médicos do Ceará, a ação foi interposta pelo próprio Sindicato, com medida de Tutela de Urgência. A decisão é inédita e pode abrir precedentes para pedidos similares.

Conforme o Sindicato, o pedido aconteceu devido ao “impacto que a propagação do coronavírus está causando nos serviços de saúde, sendo urgente a necessidade de salvaguarda e ou realocação dos profissionais que atuam na linha de frente da doença e integram o grupo de risco”.

O Sindicado também divulgou que a ação foi impetrada junto à Advocacia Geral da União. Na decisão, o juiz federal Danilo Dias Vasconcelos de Almeida determinou que a União viabilize a inscrição dos estudantes de medicina da UFC no chamamento público para adesão ao Programa Mais Médicos pelo Brasil.

Casos

Nesta terça-feira (24), a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) divulgou que há 185 casos confirmados de pessoas acometidas pelo novo coronavírus no Ceará. Foram mais 21 casos contabilizados desde a divulgação do penúltimo boletim, na segunda-feira (23). Da região Nordeste, o Ceará permanece sendo o estado com mais confirmações.

Fortaleza é o principal ponto de concentração dos infectados, com 170 pessoas. Outros cinco municípios apresentam manifestação da Covid-19, sendo eles Aquiraz (6), Sobral (4), Fortim (1), Mauriti (1) e Juazeiro do Norte (1). Outros dois casos são de residentes de outros estados, sendo um da capital de São Paulo e outro de Uberlândia, em Minas Gerais.

Fonte: G1 CE

Comente aqui sobre essa matéria.