Médicos encaminharam um abaixo-assinado para a Assembleia Legislativa (AL-CE) pedindo a cassação do mandato do deputado estadual André Fernandes (PSL). O documento, protocolado pela Casa na manhã desta quarta-feira, 20, contou com a assinatura de cerca de 100 profissionais e acusa o parlamentar de divulgar falsas informações ao ter afirmado que o secretário da Saúde do Estado, Dr. Cabeto, altera atestados de óbitos. O Partido Socialismo e Liberdade (Psol) também se dirigiu à Casa nesta manhã para pedir punição ao deputado.

De acordo com abaixo-assinado, ao acusar o chefe da pasta de saúde o parlamentar colocou em “suspeição todos os médicos que assinam atestados de óbito afirmando como causa a Covid-19”, doença provocada pelo vírus. Por meio do documento, os profissionais consideram ainda que acusação do parlamentar foi “leviana e inverídica” e que atingiu a “honra de todos os médicos que diariamente arriscam suas vidas” no combate à doença.

Além do abaixo-assinado, a AL também protocolou na manhã desta quarta um pedido do Psol para que fosse instaurado um processo disciplinar contra o deputado, com as devidas sanções por prática de “ato incompatível com a ética e o decoro parlamentar”. A representação, dirigida ao Conselho de Ética da Casa, faz menção a uma postagem do deputado comparando o número de óbitos por doenças respiratórias no Ceará entre 2019 e 2020.

A publicação chegou a ser compartilhada pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) e foi considerada como fake news (notícia falsa) por agências de checagem e por apuração realizada pelo O POVO. A ação do deputado, que chegou a votar contra punição de fake news no Ceará alegando “liberdade de expressão”, é vista por representante do Psol como feita de forma “consciente e com o intuito deliberado de construir fundamento para uma falsa narrativa que tenta emplacar junto à população”, de acordo com informações do partido.

Fonte: O Povo

Comente aqui sobre essa matéria.