Virali Modi luta por uma Índia mais segura para pessoas com deficiência.

“Na estação central de Bombaim, fui molestada e apalpada em três diferentes ocasiões por funcionários”, conta ela.

“Precisei da ajuda de dois deles para me levantar da cadeira e entrar no trem. Um deles me segurou por trás, envolveu seus braços ao redor do meu peito e começou a me apalpar.”

“Naquele momento, me senti inútil; senti que as pessoas com deficiência não têm voz e são inúteis na Índia.”

Agora, Virali faz campanha para tornar o transporte na Índia mais seguro e acessível para deficientes.

Graças a ela, a estação de Kerala oferece agora treinamento a funcionários, além de rampas portáteis e cadeiras de rodas do tamanho do corredor.

Ela perdeu os movimentos aos 14 anos, após contrair malária. Acabou abandonada por família e amigos.

“Tentei me matar duas vezes – a vida era extremamente difícil”, diz.

Mas, com o passar dos anos, Virali encontrou motivação em outra cadeirante e foi coroada a 1ª vice-campeã do Miss Cadeira de Rodas da Índia em 2014.

“Este é o meu trono. Sou a rainha. Não mexa comigo, pois sou brava.”

Fonte: BBC