Faleceu na tarde dessa quinta-feira, 04, no Cariri, o iguatuense José Enilson Couras, mais conhecido como Courinhas, aos 60 anos. Segundo informações preliminares a causa da morte seria insuficência renal. Courinhas era conhecido em Iguatu, na região e mesmo em outros estados por crimes de morte cometidos, tendo ficado na prisão em mais de uma ocasião e reunindo condenações por homicídio, além de ser acusado de outros.

Algumas informações dão conta de mais de 100 homicídios, mas talvez a condenação mais conhecida aconteceu em 2010, quando Courinhas foi condenado a 15 anos pela morte do tio Sinval Correia Braga, que teria feito seguros de vida tendo ele como beneficiário. O crime aconteceu em 1996. Outra condenação aconteceu também em 2011, por conta de um homicídio na cidade de Carius, que vitimou Manoel Cândido Diniz.

Além desses casos, Courinhas também era conhecido e temido no Piauí, onde também teria cometido crimes, tendo sido acusado também pelo homicídio do Cabo Honório, em 1988.

Courinhas foi um dos envolvidos no escândalo internacional que veio a público em 17 de outubro de 1999 que culminou com a prisão de seu primo o coronel José Viriato Correia Lima, acusado de chefiar o crime organizado no estado do Piauí, com ramificações em todo o Nordeste. Courinhas ficou conhecido como o braço armado de Correia Lima, acusador de matar prefeitos, empresários e policiais.

Não é oficial, mas calcula-se que Courinhas seja autor de quase 100 crimes em vários estados nordestinos, a maioria deles contra a vida. No Piauí, o crime do qual é acusado e que chamou mais atenção da sociedade é engenheiro da antiga Telemar José Ferreira Castelo Branco, o Castelinho, em janeiro de 2000, na zona Leste de Teresina. Courinhas teria sido o autor do disparo que matou ma vítima, a mando do ex-coronel Correia Lima, também para receber seguro de vida.


Entrevista de Courinha a TV do Piauí

*Por Jan Messias