No período de 1° de setembro ao dia 16 de setembro de 2019, até as 19h, o 4° Batalhão de Bombeiros Militar com sede em Iguatu, na região Centro-Sul do Ceará, registrou 59 ocorrências de fogo em vegetação. Da última segunda-feira, dia 9 de setembro, até hoje, 16, foram 32 ocorrências.

A maioria dos registros de fogo em vegetação ocorreu em Iguatu, 34, seguido de Cedro, 07; Acopiara, 06; Icó, 04; Quixelô, 03; Cariús, 02; Lavras da Mangabeira, Jucás e Orós, cada, com um registro.

O comandante do 4º BBM, coronel Nijair Araújo Pinto, disse que na tarde desta segunda-feira, a corporação foi acionada para combate a um incêndio em vegetação na cidade de Quixelô, na área urbana. “Mais um foco debelado, graças ao afinco e à garra da guarnição”, frisou. “A área devastada foi de aproximadamente 5 km”.

O comandante do 4º BBM destaca três principais fatores para a ocorrência das queimadas em vegetação: “Ação antrópica, ou seja, o próprio homem interferindo, tocando fogo, efetuando aceiros mal feitos ou criminosamente; a elevação das temperaturas, e o aumento da velocidade dos ventos”.

O coronel Nijair Pinto observa que ‘a população e a imprensa podem ajudar efetivamente por meio de campanhas e dicas preventivas, evitando a eclosão de novos focos e, principalmente, denunciando os causadores’.

O coronel desta que ‘em mais de 200 ocorrências recentes, ninguém foi sequer denunciado – com resolutividade tão baixa fica muito difícil inibir novas ações’.


Agricultores acompanham fogo destruir mata nativa. (Foto de Honório Barbosa)

O comandante geral dos Bombeiros, coronel Holanda, o subcomandante geral, coronel Cleyton, e o comandante dos bombeiros do interior, tenente coronel, Anderson, mantêm esforços possíveis para atender a atual demanda. “Em todos os quartéis, temos guarnições extras, exclusivas para atendimento a focos de fogo em vegetação. Nossa maior dificuldade agora está na efetiva eclosão de vários focos, em diversos cidades do Estado, todos ao mesmo tempo. Mesmo assim, estamos atendendo aos chamados e cumprindo nossas missões”, disse o coronel Nijair Pinto.

O comandante do 4º BBM prevê que até dezembro haverá focos de queimadas no serão. “Ainda teremos alguns meses com essa peculiar combinação entre homem, temperatura elevada e ventos fortes. Estejamos todos atentos e solidários, principalmente em se tratando da não omissão, denunciando possíveis piromaníacos”.

Fonte: Diário Centro Sul