Cientistas da Universidade do Arkansas, nos Estados Unidos, produziram um protótipo de laser com capacidade de eliminar células cancerígenas que atuam na corrente sanguínea. A técnica desenvolvida é totalmente não-invasiva, ou seja, o método é realizado do lado de fora do corpo do paciente. As informações são do portal da Revista Galileu.

“Esta tecnologia tem o potencial de inibir significativamente a progressão da metástase”, disse Vladimir Zharov, líder da pesquisa, à revista IEEE Spectrum. Para o pesquisador, a noticia é animadora, pois a dispersão de tumores para outras regiões do corpo humano é a principal causa de mortes por câncer.

Conforme informações dos pesquisadores sobre o estudo, ao focar o laser nessas células tumorais, elas acabam absorvendo muito mais energia de calor do que as células normais, o que as faz ampliar e colapsar. “Em um paciente, nós destruímos 96% das células cancerígenas”, comunicou o pesquisador.

O uso de tecnologias com laser é uma tendência no desenvolvimento de terapias contra o câncer: além da Universidade do Arkansas, outras instituições de estudo e pesquisa desempenham trabalhos que sejam parecidos e que buscam expandir a eficiência da técnica para que ela possa ser utilizada em larga escala nos tratamentos futuramente.

Fonte: O Povo