Está em implantação no Instituto Federal de Educação (IFCE), campus Cajazeiras, em Iguatu, o projeto Asa Branca, que tem por objetivo estudar a ave ícone da resistência do nordestino à seca.

A ave vem sofrendo influências das ações antrópicas com consequências até agora desconhecidas, uma evidência de mudança comportamental do animal que se dá pela presença cada vez maior dessa espécie em áreas urbanas devido à perda constante da cobertura de áreas vegetais.

Assim, diante da possibilidade desta espécie passar a fazer parte, também, da relação de aves em risco de extinção.

O estudo será desenvolvido em viveiro apropriado construído dentro das normas estabelecidas pelo Ibama e com autorização do ICMBio, sob a supervisão do professor Marconi Sampaio, médico veterinário. Já foi autorizada a captura de vinte aves que, transportadas para o viveiro, serão objetos de várias análises.

O professor explica que através de punção venosa é coletado o sangue das aves. “O objetivo é estabelecer o padrão hematológico, bioquímico e de hormônios reprodutivos da espécie já que esses dados não constam nos mecanismos de busca na literatura mundial”, pontuou.

Marconi Sampaio espera que uma vez estabelecido esse padrão, possa servir de apoio a futuras pesquisas na área e permitir e também subsidiar veterinários a analisar hemograma em casos de possíveis doenças.

O próximo passo serão estudos relacionados à reprodução das aves através da coleta de sêmen que será diluído e conservado em criogenia para contribuição aos bancos de germoplasma. Também se espera desenvolver técnicas de inseminação artificial assim como é feito no Capote ( Numida meleagris). Porém esses estudos ainda estão em fase inicial devido a ausência de pesquisas e da falta de recursos para o desenvolvimento de ciência e tecnologia.

O pesquisador, Marconi Sampaio, foi convidado para expor seu trabalho no I Encontro Internacional de Biotecnologia em Saúde Humana e Animal que acontece em Fortaleza no período de 14 a 16 deste mês na Universidade Estadual do Ceará.

O I Biotec Meeting 2019 apresentará novos produtos e bioprocessos com aplicação ao sistema produtivo, visando o desenvolvimento regional e a aproximação academia-empresa.
Segundo o coordenador geral do evento, professor José Ferreira Nunes, o Biotec Meeting 2019 tem como objetivo central promover e discutir as Biotecnologias geradas através do Mestrado Profissional em Biotecnologia em Saúde Humana e Animal, junto aos setores produtivos e governamentais.

Fique por dentro

A asa branca (Patagioenas picazuro) é uma ave da família Columbidae que apresenta parte de sua distribuição no território brasileiro, principalmente em áreas abertas, como nas regiões de Cerrado e Caatinga. Essas aves também vêm sofrendo

O estudo de parâmetros hematológicos, bioquímicos e hormonais passaram a constituir uma prioridade para o diagnóstico comportamental e fisiológico da asa branca, podendo vir a mostrar variáveis fisiológicas desta espécie que permitam a avaliação dos dados obtidos para melhor interpretação e descrição destes parâmetros.

Marcone Sampaio é médico veterinário, professor pesquisador do Instituto Federal do Ceará, especialista em patologia das doenças tropicais pela UFC e em avicultura pela UECE e mestre em Biotecnologia da Saúde Humana e Animal pela UECE.

Fonte: Diário Centro Sul