Treinador lamenta a perda dos cinco jogadores negociados e diz que isso impacta diretamente a formação da equipe que encara o Avaí, no próximo sábado (13). Até o momento, apenas o meia Mariano Vázquez chegou ao Pici.

Na primeira entrevista após o fim da parada da Série A do Campeonato Brasileiro para a Copa América, Rogério Ceni chegou com uma constatação que chamou a atenção de todos. “Infelizmente, hoje nós estamos menos prontos do que antes da parada para a Copa América, quando vínhamos de uma sequência de jogos, mas também com mais jogadores para trocar. Uma pena que nós perdemos jogadores que compreendiam o sistema de jogo, que já entendiam, Marcinho e Dodô, desde o ano passado”, disse o treinador leonino.

Ele disse que a falta dos cinco jogadores que foram negociados ou devolvidos aos seus clubes de origem no mês sem partidas do Campeonato Brasileiro vai atrapalhar diretamente na montagem do time para o jogo com o Avaí, no próximo sábado (13), às 17 horas, na Arena Castelão.

“Nós não esperávamos a saída do Marcinho, é uma venda e não tem o que fazer. A saída do Dodô nós lamentamos. Esperamos que em breve a gente consiga trazer jogadores para ter alterações para fazer durante os jogos”, pontuou.

O zagueiro Patrick, o meia Dodô, e os atacantes Matheus Alessandro, Júnior Santos e Marcinho deixaram o clube entre os meses de junho e julho. E, até agora, a diretoria do Leão do Pici só trouxe o meia Mariano Vázquez, que estava no futebol colombiano.

“Se fosse para trazer por trazer, poderia trazer vários nomes. Queremos o jogador certo na posição certa. Você traz um grande jogador para ser útil. O tempo passou, sábado tem jogo, o torcedor quer vitória, mas você não consegue. Hoje, temos um setor ofensivo abaixo do que foi antes da Copa América. O clube está atrás para quando tivermos oportunidade. Hoje, temos a folha de pagamento em dia, isso é algo bom, mas sem opções de velocidade não há muito o que fazer. O que nos ajuda é o jogo espaçado”, analisou, reclamando da maior redução do elenco e da falta de homens rápidos no ataque.

O Fortaleza vai a campo no próximo sábado (13) com o alerta de Ceni de que o resultado possa não ser do jeito que a torcida espera neste retorno da competição. O fato é que um mau resultado pode levar o Tricolor de volta ao Z-4.

Fonte:Diário do Nordeste